livros reviews

As Leituras de Julho

20 de Julho, 2019
As Leituras de Julho

Acho que já consegui acertar o passo e arranjar forma de ler mais durante a semana. Em casos extremos, como aconteceu nos últimos dias, acabo por ficar agarrada a um livro, durmo menos horas e odeio-me no dia seguinte. De resto, no entanto, mecanizei-me para ler em pequenos períodos de tempo durante o dia. Quando estou à espera dos transportes públicos – porque ler em autocarros é destruir o meu estômago e tudo o que ele representa – e até à hora de almoço, na companhia das minhas colegas de trabalho, o que originou a piada de que formámos um clube de leitura semanal.

Este novo hábito de leitura fez com que, no espaço de dez dias, sensivelmente, acabasse por ler quatro livros. Ah, as saudades. Não há nada melhor do que ver o meu desafio da Goodreads a crescer e a noção de que, pelo menos em 2019, vou ultrapassar o número estipulado no início do ano.

Como não tenho muito tempo para fazer reviews individuais, decidi resumir as minhas últimas leituras para vocês. Prometo, pelo menos, uma história arrepiante e um romance adorável – assim para equilibrar a coisa, estão a ver?

 

A Nossa Casa Está a Arder, de Greta Thunberg

Editorial Presença • Comprar: Bertrand | Wook

Este foi o único livro onde houve alguma energia interior para a realização de uma review individual. Uma das razões porque decidi falar sobre este livro em particular foi precisamente pelo impacto do tema – a crise ambiental que vivemos no dia de hoje. Não é uma leitura fácil mas é uma leitura extremamente necessária que recomendo a todos.

A opinião foi partilhada no blogue e podem lê-la aqui. Vale a pena, a sério. O nosso planeta merece definitivamente a nossa atenção e Greta Thunberg só está aqui para nos lembrar disso mesmo.

 

Tu, de Caroline Kepnes

Editorial Presença • Comprar: Bertrand | Wook

O mais recente livro de Caroline Kepnes chamou-me muito a atenção desde que saiu a adaptação televisiva na Netflix (que eu ainda não vi, por isso nada de spoilers nem mimimi’s desse lado, está bem?). Primeiro, por ser uma mulher que decide escrever sobre a toxicidade de um stalker e os limites que pode ultrapassar para chegar onde quer. Segundo, porque a sociedade contemporânea não dá definitivamente atenção suficiente a este tipo de situações e acaba por ser uma chamada de atenção para a partilha de conteúdo excessivo nas redes sociais.

Eu gostei imenso de ler a obra, apesar de a achar nojenta – sim, no verdadeiro sentido da palavra. A história é toda feita através do ponto de vista do stalker, Joe, pelo que conseguimos entrar na mente psicopata dele e de tudo aquilo que ele faz para chegar até Beck. O final está brutal, e digo isto na perspetiva de escritora, mas, enquanto leitora, posso dizer que é macabro e estranho e assustador pensar na facilidade com que isto nos pode acontecer. A todos.

 

Apartamento Partilha-se, de Beth O’Leary

TopSeller • Comprar: Bertrand | Wook

Depois de algo tão perturbador como Tu, senti que precisava de algo leve e romântico, que não me fizesse pensar nos podres da nossa sociedade e sim nas coisas bonitas, como histórias de amor totalmente improváveis mas tão deliciosas que nos fazem sonhar e pensar em unicórnios. Algo assim.

O mais recente romance de Beth O’Leary traduzido em Portugal conquistou-me pela capa. Sim, fui uma dessas desgraçadas que julgou um livro pela sua capa, não é preciso julgarem-me a mim também. Mas quando comecei a ler, no entanto, esqueci-me completamente da capa e fiquei agarrada à história. Tiffy e Leon partilham um apartamento em horários diferentes, dormem na mesma cama em horários diferentes e comunicam através de notas. E depois apaixonam-se (cliché, eu sei, mas já disse para não me julgarem). Na verdade, acabei surpreendida por se tratar de um livro dentro do género chick lit que, ainda assim, conseguiu fugir ao estereótipo e ter alguma profundidade ao abordar temas como abuso psicológico e o quão tóxica uma relação consegue ser quando alguém manipula o outro.

No final, fiquei rendida à escritora britânica e mal posso esperar pelos próximos livros. E por mais capas bonitas – sim, isto é para vocês TopSeller!

 

Mixórdia de Temáticas, Série Lobato, de Ricardo Araújo Pereira

Tinta da China • Comprar: Bertrand | Wook

Terminei este livro hoje e, confesso, fiquei um pouco desiludida. A minha relação com os livros de Ricardo Araújo Pereira é muito simples: descobrir, comprar, ler. Sem dar muita atenção à sinopse ou algo do género, tal não é o meu respeito pelo homem. No entanto, e tal como indica o título, este livro acaba por ser uma transcrição das rubricas na Rádio Comercial.

Ainda que me tenha rido em alguns momentos, depressa descobri que o humor perde-se um bocadinho quando transposto para o papel. Mixórdia de Temáticas é hilariante na rádio, onde ouvimos o diálogo de todos e perdemo-nos nas imitações caricatas de RAP quando entra no papel de Lobato. Em suma, não foi uma leitura que me conquistou e, inclusive na Goodreads, não lhe dei mais do que três estrelas (espero que o Ricardo Araújo Pereira nunca leia isto e, se algum dia me conhecer, não me julgue demasiado).

 

leituras-de-julho-capa

Depois destes quatro livros, vou estrear-me no mais recente romance editado pela Porto Editora: Lá, Onde o Vento Chora, de Delia Owens. Este livro anda na ribalta lá fora, na lista de bestsellers dos grandes tops literários, e a sinopse conquistou-me pela abordagem à isolação na perspetiva de uma mulher. Quando acabar de ler, vou ver se arranjo um tempinho para falar sobre ele por aqui!

E vocês, o que andam a ler?

* Alguns destes livros aqui representados foram oferecidos pelas editoras, mas todas as opiniões são minhas e absolutamente honestas. Esta publicação contém também links de afiliado. 

SEGUE-ME NAS REDES SOCIAIS

  • Reply
    Andreia Morais
    20 de Julho, 2019 at 18:57

    Quero muito estrear-me na obra de Ricardo Araújo Pereira! Mas acredito que um livro das Mixórdias acabe sempre por perder um pouco do seu humor quando escrito [ainda para mais se, anteriormente, tivermos ouvido a versão de rádio], porque há essa ausência de retorno, de diálogo.
    Se calhar, vou ter mesmo que me aventurar no Tu :p
    Que ótimas sugestões!

    Este mês, ando mais lenta nas minhas leituras. Porém, iniciei hoje "Um dia naquele inverno", de Sveva Casati Modignani

Deixar uma resposta